O trabalho árduo de Keren LeYedidut para continuar a ajudar a Ucrânia

GUSTAVO GAKMAN: “O KEREN LEYEDIDUT ESTÁ PARA ESTES MOMENTOS, COMO A GUERRA DA UCRÂNIA”

O Keren LeYedidut está realizando uma operação de assistência e resgate aos judeus que fogem da guerra na Ucrânia e têm a oportunidade de começar uma nova vida em Israel. Gustavo Gakman, diretor do escritório para a América Latina e Espanha do Keren LeYedidut, destacou a complexidade da crise: “Desde o momento em que começou este conflito e a possibilidade de que ocorra uma guerra assim, tentamos nos preparar. Mas, para ser sincero, não vimos a dimensão”.

“Além da parte burocrática a ser feita para ajudá-los a ir para Israel, o que fizemos foi alugar cada espaço que se pôde na fronteira da Moldávia. Nós compramos camas, colchões, fogões e semanalmente estão chegando aviões com alimentos que manda o Keren LeYedidut. E, por outro lado, no momento em que já têm uma base para que sigam as formalidades em Israel, estamos da Moldávia comprando um voo diário de quase 154 olim”, afirmou Gakman.

Keren LeYedidut é uma organização com forte presença tanto na Europa como na América Latina, ajudando os olim a concretizar sua aliança com um acompanhamento especial, antes e depois da sua viagem a Israel.

Quando surge a crise da Ucrânia, Keren LeYedidut e a Agência Judaica começam a trabalhar

É uma colaboração plena, cem por cento. Nesta oportunidade, eles decidiram realizar uma divisão por razões operacionais. A Agência Judaica tomou a fronteira com a Polónia e o Keren LeYedidut a fronteira com a Moldávia, o que é um grande avanço porque as pessoas querem continuar a fazer aliá. Por outro lado, em Israel também conta com um forte avanço porque faz falta recursos humanos para enfrentar esta quantidade de olim, a qual as organizações não estão acostumadas. Felizmente Israel já tem experiência em organizar-se rápido. “As imagens são muito duras. Há imagens de famílias que se separam dos homens que se têm que ficar na Ucrânia, gente que vem realmente com o vestido, gente que vem sem documentação. É muito difícil na Europa, em 2022, viver algo assim.” – comenta Gustavo.

O orgulho de fazer parte de Keren LeYedidut

“Na verdade, sempre me senti orgulhoso de trabalhar no Keren LeYedidut, e hoje mais do que nunca. A organização sempre ajuda os olim o máximo possível para que tenham êxito em sua aliança. O Keren LeYedidut tem que dar o máximo e mais, seguindo com doações e realizando campanhas para reunir o máximo dinheiro possível e poder ajudar cada vez mais.” – finaliza Gustavo

Skip to content